Que diazinho chocho

Hoje o dia é um grande não. Ou um sim, se olharmos para o copo meio cheio. A história é que o raio do copo só está a meio mesmo… Acordei bem disposta, mandei umas coisas às urtigas e fui com a família ao programa regular de sábado de manhã, mas logo aí a coisa começou a azedar. Comecei a sentir-me com uma sensação de desconforto mental, terrível para quem estava comigo. Dias assim fazem parte, eu sei mas moem e às 16h da tarde só me apetece despir este “fato” e sair. Oh bem vistas as coisas, deve ser a porcaria da TPM, que tenho sempre muita. Resumindo, hoje estou num daqueles dias de dar um grito. Ando para aqui às voltas com os sites, os formulários e mais os anúncios e nada fica terminado, é horrível. Preciso de terminar (ou será começar?) um plano de marketing e não estou estática, sem sair da sepa-torta. #professionalme Quero por a andar também o meu outro projecto pessoal secreto, mas não consegui avançar muito desde há 15 dias para cá. Está emperrado, num template giro, mas sem chama nem direcção. Falta estruturá-lo e lançá-lo, Mas preciso de um calendário. Óbvio que preciso de um calendário a longo prazo. Mas não queria profissionalizá-lo, senão intromete-se no meus outros eus. #personalmewithotherobjectives A minha casa está um caos. E por muito que me tente comprometer, não consigo fazer tudo sozinha, é impossível. Essa treta do trabalho de equipa para mim ultimamente não tem dado grande resultado. Cinco anos de enganos. As tarefas domésticas “core” tenho muita ajuda, é que nem vale a pena atirar falsos testemunhos. Compras, refeições, máquinas de roupa, crianças na escola, crianças em actividades, neste momento faço bem pouco para isso. Lista de tarefas domésticas que me estão a sarnir o juízo: – arrumar quarto “livre”. Mal se consegue lá entrar. Há dias estive a separar cabos de transformadores, USB, auscultadores. Queremos torná-lo um espaço para todos, mas está difícil, cheio de pó e sinceramente muito lixo; – arrumar o escritório. Já foi até há pouco tempo um espaço giro, mas está a maior bagunça. É um espaço partilhado, usado por mim a 30%, mas que precisa de algo, limpeza e ordem. Descobrimos que a caixa de onde saia o sinal da NOS estava dentro do armário. Dentro significa: debaixo do tampo das gavetas. Obras de que ninguém se lembra, santa inteligência. É óbvio que não tivemos com meias medidas e abrimos o tampo e o modem está lá e a injectar sinal na rede doméstica que montámos há uns meses. A montagem da rede foi uma aventura. Uma diversão só: a ML. puxava as guias e os cabos das tomadas RITA e a J. tomava conta dos cabos. Eu aprendi a fazer as terminações dos cabos de rede. Até somos uma família de bricolage. O máximo. – arrumar as roupas em sítios definitivos e jogar fora o que está irremediavelmente estragado e não serve. Jogar fora coisas que ainda podem servir a alguém significa colocar no contentor de uma escola; se está rasgado, debutado ou com borbotos o jogar fora é no contentor do lixo. – limpar as janelas: estão um nojo e o tapete da sala merece ser lavado. – tratar das ervas daninhas em volta da casa, já não se aguenta tamanho matagal.#tidyup  Bem talvez o meu mau humor tenha a haver com esta lista interminável… Ou será mesmo TPM?

Imagem de bluebudgie por Pixabay
Etiquetas: