A viagem curta

Esta manhã estou a reviver o final do século passado, dos meus tempos de UAlg. Muita coisa mudou desde então, mas a viagem de comboio do Algarve para Lisboa continua a ter o seu encanto. Obviamente não se pode comparar à maravilha da viagem até à Régua; ou até mesmo a uma linha de Cascais. Mas envergonha uma viagem Sintra Rossio.
Nem eu sei muito bem como, deixei-me convencer a comprar o bilhete para o Alfa das 7h10! Um escândalo. Tão minha vidinha no final do século passado, início do actual. Literalmente há mais de uma década que não entrava num Alfa. E não há muita coisa destas para apanhar às 7h10 por estas bandas…
Eu ainda sou do tempo em que o comboio ia só até ao Barreiro; e para Lisboa, a ligação mais “simples” e catita era de barco.
Hoje se quisesse podia ir até ao Porto, sem sair do comboio. Neste momento o comboio está a dar os 212Km/h. Chega à Campanhã à hora do almoço. E a TV desta carruagem está sintonizada no Porto Canal.

Carruagem 3, Alfa Pendular com destino a Porto Campanhã, com a TV sintonizada no Porto Canal (Imagem by Sílvia R., 19-04-2018)

Fabuloso.
Esta coisa de já ter perto dos 40 é gira. Já posso fazer umas comparações muito divertidas, com muito conhecimento de causa. E à velocidade a que as coisas acontecem e mudam nos últimos anos, sinto-me cada vez melhor. Claro que ter fixação nas geekquices ajuda muito. Mas também tenho plena consciência que as minhas filhas me há-de dar vários bailinhos daqui a una anos. E eu vou adorar aprender sobre os novos brinquedos tecnológicos e as facilidades do dia a dia dessa altura.
Lembro-me que na primeira viagem que fiz de Intercidades para Faro, nem telemóvel tinha. Um absurdo, para as minhas filhas! Neste momento estou para aqui aborrecida por causa da internet e já melguei o revisor um par de vezes por causa do Wi-Fi: anunciado no logotipo em cada encosto de cabeça, o raio do Wi-fi não funciona, o que resulta que este texto esteja a ser escrito no NotePad (!) porque suspendi a sincronização do Google Drive em offline neste computador. Perceberam!?
Passados 20 anos a diferença nesta viagem é abismal. Excepto a senhora com mais uns pares de anos que eu que vem a tagarelar sem interrupção desde Tunes.
É uma maratonista: veio com uma garrafa de água de 1,5L para ir hidratando as cordas vocais. Eu se fosse o maquinista acelerava ainda mais um bocadinho, pela sanidade mental dos passageiros na carruagem três.
Bom, daqui a 20 minutos estou em Entrecampos.
Vou aproveitar a travessia do meu Tejo e mais logo carrego este texto no blog.

Etiquetas: